Postagens

DESTAQUE

EDIÇÃO DE VÍDEOS

Imagem
CURSO DE EDIÇÃO DE VÍDEOS COM OBJETIVOS PEDAGÓGICOS

Olá!

É com imensa satisfação que convido todos vocês a se inscreverem no curso de edição de vídeos com objetivos pedagógicos - que ministrarei no SIEEESP no dia 25/08/17 - para aplicação dentro e fora da sala de aula.

A ideia é "por a mão na massa" para ver e analisar os seus resultados e os dos colegas.

Haverá a realização de um projeto final com edições justificadas e analisadas do ponto de vista técnico e pedagógico.

Segue, ao lado, a imagem do folheto de divulgação do curso. As inscrições podem ser feitas aqui.

Até lá!

Prof. Carlos Sanches

METODOLOGIAS ATIVAS

Imagem
UMA PEQUENA REFLEXÃO SOBRE A PERSONALIZAÇÃO NA EDUCAÇÃOA personalização é uma abordagem desejável na educação - como aconteceu, num passado relativamente distante, com uma população infinitamente menor que a atual em alguns setores da sociedade -, já que cada aluno aprende do seu jeito e no seu tempo. 

Porém, com o crescimento populacional, a massificação do ensino, e a necessidade de se universalizar o acesso à educação, tornou-se muito complicado - também por diversos outros motivos - colocá-la em prática. 

Essa situação, no século 21, principalmente, com o avanço das TDIC - Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação - tem todas as condições - técnicas e culturais - de ser alterada e esse processo de personalização pode tornar-se - e muito! - possível, facilitado, e incentivado.

Capacitação e treinamento, além, claro, da prática, para ver o processo funcionando e, até, aprender com os erros cometidos, são fundamentais para que a personalização se torne uma realidade com …

METODOLOGIAS ATIVAS

Imagem
O USO DAS TDIC NO DIA A DIA DAS ESCOLAS
Uma pergunta é recorrente em diversos ambientes onde se discute a utilização das TDIC - Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação - nas escolas brasileiras: como elas estão sendo utilizadas pelos professores?

Segundo a pesquisa TIC Educação 2015 do Cetic.br, boa parte dos professores utilizam as TDIC, porém inseridas num contexto de abordagem pedagógica tradicional, ou seja, substituindo o "analógico" pelo "digital" - algo que chamamos de "substituição". Com isso, não há inovação ou mudança na prática pedagógica, embora esteja se usando a tecnologia.

Essa constatação é compreensível - embora, não desejável -, pois penso que estamos numa fase de transição do "analógico" para o "digital" - já escrevi sobre isso há 4 anos no post inaugural desse blog.

Portanto, creio que precisamos, agora, passar para um segundo momento, onde a tecnologia digital e o professor se tornem mediadores do processo de …

SCRATCH

Imagem
SINCRONIZAÇÃO E PROGRAMAÇÃO PARALELA NO SCRATCH Um dos pontos mais importantes e interessantes em animações é a sincronização entre as partes envolvidas.

No Scratch, podemos desenvolver animações com uma sincronização perfeita através dos blocos "Envie mensagem" e "Quando receber mensagem" atuando em conjunto.

O primeiro bloco envia " a mensagem" no tempo em que ela deve ser enviada - após algum evento, fala, etc. O segundo, a recebe e "dispara" a ação escolhida. Se esses blocos não existissem, teríamos de calcular os tempos necessários todas as vezes que fizéssemos esse tipo de coisa.

Por exemplo: imagine várias falas de personagens em que um deve falar após o outro. As falas duram um certo tempo e as demais, na sequência, devem "esperar" até que as anteriores sejam completadas. O cálculo do tempo de cada fala seria excessivamente trabalhoso e haveria uma grande perda de tempo. E se, ainda, quiséssemos, após a fala de alguma personagem, &…

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO

Imagem
DESPERTADOR EM SCRATCH



Apresento a vocês um tipo de despertador feito com os blocos do Scratch. Ele serve como exemplo da aplicação da lógica de programação na produção de algo útil no nosso dia a dia. Eu dei a ele o nome de Alarm Clock.

Teste-o, logo após este texto, inserindo seus valores de hora, minuto e segundo, seguindo as instruções da tela.

Para treinar um pouco o reconhecimento e a análise desses blocos -"mexendo" neles -, e, também, claro, lógica de programação, tente, na página do aplicativo, após clicar no botão "Ver interior"...

...1. trocar a imagem do ator - por uma foto sua ou pela imagem de um despertador, por exemplo -, e/ou o plano de fundo, e/ou os sons inseridos nesse código pelos seus próprios.
...2. alterar a duração do intervalo de despertar do primeiro áudio e a quantidade de repetições dos dois áudios existentes.
...3. escrever seus próprios textos nos balões de fala do ator.
...4. eliminar as falas iniciais para que o aplicativo inicie direto co…

TECNOLOGIA

Imagem
ESCOLA NA NUVEM

Você já ouviu falar de escola na nuvem? Pois bem, para quem não sabe do que eu estou falando, trata-se, essencialmente, de aplicativos utilizados pela escola que estão em servidores - "nuvens" - e que "rodam" a partir de qualquer dispositivo conectado à internet.

Há vários tipos de soluções pedagógicas nesse sentido. O principal exemplo e, talvez, o mais representativo, é a plataforma de gerenciamento da aprendizagem, mais conhecida como LMS - Learning Management System.

Utilizar arquivos em nuvem, do ponto de vista tecnológico, é um avanço extraordinário. Acessar arquivos e trabalhar em tempo real a partir de qualquer dispositivo conectado à internet sem limite de tempo e espaço é fantástico e muito produtivo.

Sem dúvida, trata-se de um avanço que deve ser utilizado com sabedoria. Agora, como tudo na vida, há vantagens e desvantagens. Dentre as vantagens, posso citar a utilização de dispositivos que não precisam ter configurações muito "pe…

METODOLOGIAS ATIVAS

Imagem
INVERTENDO A SALA DE AULA...E A ABORDAGEM Dentro ou fora da sala de aula, a maneira de expor um assunto/matéria/tópico pode ser invertida.
Mais que isso: a partir de um vídeo ou animação, por exemplo, pode-se estimular a reflexão e não apenas fazer a inversão da exposição do conteúdo.

Um exemplo que eu gostaria de citar é o estudo de um modelo atômico. Na abordagem tradicional, o professor explica como ele é através de um determinado conteúdo expondo-o na lousa e, depois, propondo a resolução de exercícios que se encontram nas apostilas/livros adotados por ele. 

Dessa forma, o aluno, de modo passivo, vê aquela explicação pronta e acabada e, mais tarde, pode propor algum tipo de questionamento.

Numa abordagem "invertida", os alunos podem - a partir da visualização da experiência que foi realizada por um cientista à época para se chegar a ele (na animação a seguir)  - propor o próprio modelo. Ou seja, a metodologia torna-se ativa!

Vantagens: dividindo-se a turma de alunos em grupos…